Esse texto parte pressuposto – eu espero que ele seja verdadeiro – de que os homens se importam com o de suas parceiras sexuais. (Se você é homem e não se importa, não continue a leitura – esse artigo não terá utilidade pra você.)

O fato é que, para as mulheres, é mais difícil gozar. Pior: é mais difícil gozar no sexo hétero. Muitas conseguem sozinhas – conhecem seu ponto G (sabem que ele está na nossa mente), seu corpo, suas posições preferidas, mas travam quando transam com homens, especialmente em se tratando de sexo casual. Deus me livre de estabelecer regras para o – gozar não admite manual de instruções – mas eu arriscaria que existe uma simples, que passa despercebida frequentemente, para o orgasmo feminino: a sensibilidade.

Nesses tempos em que se faz sexo para alimentar o ego, muita gente tem se contentado com transas de plástico: aquele sexo limpinho, com script, início, meio, fim. Aquele sexo em que se faz tudo o que acredita-se indispensável a uma boa transa: Chupar: Ok. Penetração: Ok. Gemer: Ok. Falar sacanagem: Ok.

Fazemos tudo o quanto é possível não em busca prazer, mas da autoafirmação: Seguimos todas as regras para que possamos nos considerar “bons de cama.” Ser bom de cama, eu arriscaria, é justamente não seguir regra nenhuma além da vontade. Desaprender o que o pornô nos ensinou, esquecer tudo o que nos disseram sobre sexo e escutar somente o nosso corpo e o nosso tesão. Em português simples: seguir o fluxo.

Regras de conduta só são necessárias quando a naturalidade dos nossos desejos já não dá as caras. Quando o tesão é genuíno, quem encontra tempo para se lembrar que pode e do que não pode? Estamos ocupados nos lembrando que queremos e do que não queremos – e isso é suficiente.

A chave do orgasmo feminino é simplesmente sentir, e isso inclui não pedir para que ela goze a cada cinco minutos – quando acontecer, amigo, você saberá. O prazer se despe das estruturas, inventa posições, encontra os próprios meios. A gente não precisa procurar – o verdadeiro prazer nos encontra. Sexo bom não tem roteiro.

Fonte – Casal Sem Vergonha

2020-03-10T09:09:52-03:00

Deixar Um Comentário